24 de Setembro de 2010

Eu li alguns livros da MRP (ou, do que toda a gente fala)

Os livros da Margarida Rebelo Pinto são de leitura fácil, aquela coisa light que toda a gente consegue perceber sem que para isso tenha que possuir uma enorme cultura literária. São livros com poucas páginas, próprio para quem não quer ser maçado por longas descrições de situações em que chegamos ao fim e já nem nos lembramos do que se tratava o tema. O vocabulário é básico e corriqueiro. Talvez não acrescentem nada à nossa cultura mas então, porque tanta gente os lê? Seremos todos (os que lêem) uns incapazes, desprovidos de espírito critico ou de cérebro? A primeira generalização é feita aqui. Apelidam as pessoas que gostam dos livros dela de burras. Levado ao extremo de mesmo que lê, vir dizer que nunca o faz, porque parece mal. 

Parvoíce pegada! Os livros vendem muito não por sermos todos uns burros mas porque as pessoas se identificam com muitas situações que ela descreve. Revêem-se nos desgostos amorosos, nas traições, na forma de lidar com as situações, relatada de forma tão simples e real por alguém que não se inibe de escrever Merda várias vezes para que se consiga assim expressar melhor. 

Quando li a crónica juro que pensei: tanta indignação com isto?? E remeti-me ao silêncio. Não iria ser eu agora a única alma a discordar de toda uma blogosfera. Hoje já me fartei de ler sobre esse assunto novamente. Lá fui eu ver o texto novamente e pensei o mesmo. 

Lembrei-me daquela gordinha que fazia parte do meu núcleo de amigas no liceu. Uma porreira! Toda a gente gostava dela e os rapazes não se inibiam de fazer-lhe festinhas e carinhos porque ela era vista como one of the boys. Ela não conseguia ou melhor não queria emagrecer, era-lhe mais fácil passar a vida a mandar bocas a quem tinha (como eu) um corpo bonito e jeitoso apelidando-nos de fúteis por sermos bonitas. Se alguma vez lhe disse: ó gorda, vai mas é fazer exercício e não me chateias a cabeça?? Não, nunca disse. Eu ia ser a bitch jeitosa que malhava na pobre da gorda. 

Lamento, mas concordo com a MRP. Ser gira dá trabalho que se farta! Traz coisas pouco positivas como o rótulo de barbie pouco inteligente, fútil, que só gosta de compras porque até se veste bem. A maioria das mulheres não gosta de ter amigas bonitas e os homens só pensam levá-las para a cama. Um gajo que case com uma mulher boazona tem que ter grande poder de "encaixe" e uma boa auto-estima não vá sofrer do síndrome "ela é mais tudo que eu". É muito mais fácil ser a moça simpática, de formas arredondadas de quem toda a gente gosta e ninguém tem inveja.

Pin It

35 comentários:

Independetemente da minha opinião sobre a MRP como escritora ou como cronista (como pessoa não importa), este teu texto é simplesmente genial.

Bisouxxx
Me,

Obrigada. Vindo de ti tem especial significado. ;)

**
Sou sincera, nunca li nada dela. Nao tenho nada contra quem lê, mas sim contra ela. Não achei normal aquele texto...mas, sao opinioes, claro.
Não teria dito melhor Kitty! Apesar da MRP não ser propriamente a minha escritora favorita acho que as pessoas, regra geral, interpretaram muito mal o que ela queria dizer.
Minha querida, desculpa, mas não posso concordar com a última frase. Tb escrevi sobre a MRP, mas no sentido de que o texto, vindo dela, não me espanta nada. Eu conheço "gordinhas" porreiraças, cheias de amigos e cheias de alegria e se algumas são perfeitamente felizes com isso, outras não o são, acredita, porque têm os seus dramas, os seus receios e por vezes, os seus complexos. Não podemos generalizar nem pensar que é muito mais difícil ser gira (quantas giras trocariam de lugar com uma "gordinha"?)é preciso ter estado nos dois lados, para os podermos compreender.
Eu não concordo nada com o que ela disse. Aliás, eu até sou gordinha e tudo. Se temos a vida muito facilitada por causa disso? Não, olha eu não tenho. Todos olham de lado, todos pensam que o meu peso pode causar uma catástrofe, se como um chocolate, pensam logo "Por isso é que estás gord"a, levamos sempre com bocas desagradaveis, não podemos ir as compras com as amigas porque corremos o risco de não encontrar os tamanhos indicados para as gordinhas, etc, etc. Sim, sim... Somos umas coitadinhas, as meninas que deviam fazer mais dieta e menos choradinhos... Mas se virem o programa Peso Certo da Sic Mulher, poderão ver como custa perder peso... Como os comentários que costumam fazer não ajudam em nada até dão mais vontade de engordar...

Mas pronto, as magrinhas são injustiçadas, coitadinhas...
E a beleza pode dar muito trabalho, como dizem, é verdade. Mas também há muita gente que é a beleza em pessoa e não faz a ponta para a ter ou cuidar.

E as tais festinhas que os rapazes fazem, tanto fazem a gordinhas como a tábuas de passar a ferro.

E como tenho ouvido e visto muitas vezes, as gordinhas andam sempre bem da vida, apesar de olhares e comentários, ao contrário das miss's que andam sempre de trombas e de mal com a vida.

Sim, estou revoltada, porque acho uma tremenda estupidez o que ela disse. Tal como o que disseste. Gosto muito do teu blog, mas acho que não preciso de dizer amén a tudo, não é?
Porra ainda se fala disto? :)

Deumalibre...
acredito que sim, mas ainda não conheci nenhum exemplar da "amigalhaça".. todas as raparigas gordas que conheci eram alvo de chacota, humilhadas, nunca se integravam em lado nenhum porque eram chamadas de feias, baleias, macacas e coisas que tais. Depois como não arranjavam namorado (eram os rapazes os primeiros a afastar-se) eram apelidadas de lésbicas. Quanto a perda de peso pode ser mais difícil do que parece e à falta de resultados, pode conduzir a anorexia (como eu já presenciei), Sim, claro que as gordinhas tem inveja do corpo das outras. Mas é como em tudo na vida.. Temos inveja do dinheiro, das roupas, do namorado... Cobiçamos sempre o que os outros têm de melhor, mesmo que seja errado.
O último paragrafo partiu a loiça toda. Adorei o ponto de vista que ainda ninguém se tinha lembrado. Mas o texto dela não deixa de ter o seu quê de preconceito.
Eu também não percebi o todo o zunzun à volta da crónica de MRP, mas remeti-me ao silêncio tal como tu. Não acho que o que ela escreveu seja motivo para tanta indignação, até porque consigo associar as gordinhas da MRP a algumas raparigas com que me fui cruzando ao longo da faculdade. Por isso não acho que a crónica dela seja assim tão parva como tudo isso, mas isso sou só eu.
Kitty, um grande foda-se! AMEI!!! É mesmo isso que escreveste!

Ser gira dá trabalho e cria muitas inimizades! Ser loira e de olhos azuis, com meio palminho de cara, e meio palmo de corpo, tornou a minha vida muito mais dificultada!

Sempre fui apelidade de nojenta, sem me conhecerem!

Sempre me disseram que os gajos só queriam ir para a cama com mais uma boazona!

Quando o meu marido dizia aos amigos que Eu era a mulher de sonho dele, os amigos diziam que era muita areia para a camioneta dele! E que nunca lhe ia passar cartão!

Podia estar aqui uma eternidade a enumerar situações...

Para as gordas, com a excepção das gordinhas por doença, deixem de comer como se não existisse amanhã, é que se vê com cada gorda comer bolos e porcarias com a boca toda. O meu N., que é todo cheio de teorias saudaveis, quando vê uma situação dessas, diz logo, gorda nojenta!
Quando li a primeira vez, pensei exactamente o mesmo! Mas eu já passei pelas duas fases, quando era criança e adolescente era gordinha sim e havia as meninas bonitas que ficavam com os rapazes giros e eu sem ninguém. Entretanto mudei e quando cheguei à faculdade fui apelidada de popstar! Mas sempre fiz questão de provar que não era burra nenhuma, nem quando era gordinha, nem quando era popstar. So... Achei exagerada a crónica dela.

Beijinho*
Estou perplexa... toda a gente pensa que nascer com os genes "posso comer o que quiser sem engordar" ou "sou linda e toda boa" dá trabalho? ....
Não, não és a única alma a discordar da crucificação da mulher. Eu continuo sem entender tamanha indignação quando muita gente pensa como ela mas não tem coragem de chamar as coisas pelos nomes. Eu tenho livros dela, uns oferecidos, outros comprados por mim... Uns são uma merda, outros gostei que me fartei isto tudo por causa da tal questão light que mencionaste. Eh pah já pensei muitas vezes da mesma forma, já vivi situações semelhantes... mas não foram todas! Acho que ela foi um pouco cruel em toda a linguagem utilizada mas não deixa de ter razão em alguns reparos. Já li crónicas em vários jornais, já ri e já chorei e até já me arrependi de ter gasto dinheiro com ela... Mas com uma escrita como a dela sinto-me mais humana, com pensamentos negativos e positivos, com erros e certezas, com experiencias falhadas e com felicidades abençoadas. Páro na FNAC e leio duas ou três crónicas e vou-me a rir para casa. Tenho um livro que ganhou um qualquer prémio espanhol, que parecia terra a terra e está ali parado há quase um ano porque é um "Manuel Machadês" que não se pode. Por vezes gosto de simplificar a minha vida e não me armar em culta? AMO... Nem tudo tem que ser politicamente correcto. Tenho um curso superior, não me considero burra, sou magra e sou feliz, por muito que já tenha amassado o pão que o diabo amassou. Precisei de usar a MRP como desculpa ou como orientação? Não... Só como sentimento de não ser única a passar por certas situações.
Sabor adocicado,

Claro que eu não preferia ser gordinha mas posso-te garantir que nem todas as magras o são devido a "bons genes". É preciso "fechar a boca", ter hábitos saudáveis e fazer muitos sacrifícios. Não é o meu caso e por isso me queixo sempre que tenho uns 3kg que não queria ter. Sou um tantinho desleixada e não resisto a umas bolachinhas. ;)

**
Florisa,

Claro que não tens que concordar. Cada pessoa tem as suas próprias experiências. ;)

**
A questão é que ela automaticamente apelida as gordas de feias... Distingue entre as gordinhas e as bonitas, uma coisa não implica a outra.

Nunca consegui ler um livro da senhora, tentei mas lá está, esse artigo que ela escreveu parece escrito por uma pessoa sem experiência de escrita...(na minha opinião)
Eu tb não concordo com a crucificação da MRP por causa desta crónica que ainda assim acho má, mas que tem um fundo de razão que ela infelizmente não soube expressar. Isto não é sobre o gordo ou o magro é sobre gente parva no geral e gente que não tem olhos na cara em particular. eu sou magra sempre fui, e qdo engordo é um quilo e pouco mais. Não distingo ninguém, nem injurio ninguém por causa da estrutura física. Porém, já fui criticada por uma 'gordinha' que dizia que eu era magra porque fazia grande esforço, que eu era magra mas tb tinha a minha celulite, que era magra mas tinha as ancas largas. Contudo, se eu me virasse e disse-se que ela era gorda, meio mundo caía em cima de mim por certo. Acho por isso, que há que respeitar, e que ninguém está acima dos comentários maldosos, nem mesmo as gordinhas quando elas próprias o fazem...é destas atitudes que a MRP fala...tirando o preconceito e os clichés, ela até têm razão! e eu que nem a leio...
- "Ser gira dá trabalho que se farta!" Não concordo! Há quem "precise" de muito trabalho para ficar gira, mas há quem seja gira sem qulquer esforço.
- "Traz coisas pouco positivas como o rótulo de barbie pouco inteligente, fútil, que só gosta de compras porque até se veste bem." Não concordo, mais uma vez. Esse rótulo não é atribuído à maioria das raparigas giras. Cabe apenas aquelas que por um motivo ou outro se põem a jeito.
- "A maioria das mulheres não gosta de ter amigas bonitas e os homens só pensam levá-las para a cama." Não concordo, outra vez. Eu gosto de ter amigas giras e apresentáveis. E os gajos, na sua maioria pensam em levar para a cama qualquer uma, desde que não seja nem demasiado gorda nem demasiado feia.
- "Um gajo que case com uma mulher boazona tem que ter grande poder de "encaixe" e uma boa auto-estima não vá sofrer do síndrome "ela é mais tudo que eu"." Pode acontecer, claro. Mas não acontecesse necessariamente.
- "É muito mais fácil ser a moça simpática, de formas arredondadas de quem toda a gente gosta e ninguém tem inveja." Também não concordo nada! Hoje em dia, o ideal de beleza está na magreza. As modelos são magras, as roupas são feitas em tamanhos pequenos, etc etc etc. Por isso não sei o porquê de ser muito fácil ser gordinha. Aliás, se é tão fácil como dizes, não entendo o porquê de às vezes te queixares que te sentes gorda... se isso é que é bom então devias sentir-te abençoada!

Mas isto sou eu, que sou magra e que até gosto de ler MRP. Não estou a querer atacar, mas chateia-me a falta de congruência!
a do lado,

não concordas?? tás no teu direito.

**
Seja como for ela exagerou...usando uma palavra tua ela foi uma "bitch jeitosa" que decidiu pôr abaixo as tais gordinhas. O problema maior será a possivel falta de autoestima delas que estará bem mais debilitada depois disto...eu sinceramnt n m deixaria afectar com isto...mas pronto há pessoas e pessoas...

Mas continuo a dizer que foi de mt mau gosto independentemente de ser ou nao boa escritora...
Cá pra mim uma gordinha roubou o gajo à MRP e ela ficou lixada até hoje...

Até percebo a ideia que ela quer passar, que há gajas que preferem desleixar-se porque é mais fácil e assim andam no meio dos rapazes como ninguém, mas não acho de todo que sejam as "gordinhas". Conheço imensos casos de gajas que são one of the boys e são bem magras, até porque muitas vezes jogam futebol com a malta. Talvez não sejam é muito engraçadinhas mas qualquer mulher que se dê ao trabalho de se arranjar o mínimo passa a sê-lo. Se o título fosse "a desleixada" era bem mais adequado e poupava montes de polémicas. Porque essas sim preferem não se dar ao trabalho de sequer rapar os pelinhos e qualquer pessoa que se trate minimamente já é fútil e burra e por aí adiante. Mas no texto da MRP subentende-se que todas as gordinhas são desleixadas o que não é de todo verdade, pois por vezes até se tratam mais para compensar essa característica não favorável.

E para MissBlueEyes "gostei" muito da parte de diferenciar as gordinhas por doença e a seguir rotular todas que vê comer como nojentas. Sabe distinguir quem é o é e quem não o é? Ou as que são doentes não podem comer na mesma mesmo que a obesidade delas nada tenha a ver com gordura? E até porque muitas o são por doenças psicológicas que se tornam numa bola de neve entre serem pessoas complexadas, por vezes até numa fase inicial de pré-obesidade, que são insultadas e se viram para a comida como um "afogar as mágoas", como muitos o fazem com o álcool, e depois se tornam obesas. O alcoolismo não é uma doença? A obesidade também o pode ser e muito mais facilmente agravada por um olhar crítico, por exemplo, mas há imensas pessoas que maltratam mesmo as pessoas gordas, agora imaginem o resultado e como é difícil sair dessa situação. E os problemas de baixa auto-estima dessas pessoas são tão legítimos como qualquer outro distúrbio emocional, sendo que a obesidade é um sintoma. Acham que alguém quer ser gorda? Claro que não! Agora quando o passam a ser há aquelas que decidem esforçar, aquelas que são insultadas e desenvolvem problemas emocionais e aquelas que desistem e se desleixam porque é mais fácil e depois criticam as que "batalham".

Por isso digo: "a desleixada" em vez d'"a gordinha".
Não gosto da iamgem que deoxa passar e detesto o que escreve. Mas, é só a minha opinião.
Cuidado nao vas um dia ficar gorda ...
Não venho aqui dizer que quem lê MRP é mais ou menos inteligente do que eu, mas que não tem bons gostos não tem.
A escrita da MRP é um insulto a outros escritores portugueses de qualidade. Se os livros vendem? Há pois vendem e muito, e isso só demonstra o nível de cultura da população portuguesa.
Os livros não vendem por serem histórias leves, vendem porque são umas autênticas telenovelas mexicanas mal escritas e de fácil compreensão.
Querem literatura light? Leiam Isabel Allende, Sveva Casati Modignani...
E com este comentário não me quero fazer passar por mais ou menos entendida do que alguém em literatura. Mas uma coisa é certa: tenho orgulho em não dar um cêntimo para o bolso dessa senhora.
Nunca gostei do que ela escreve e depois de ler esse texto só senti nojo dela.
Como já disseram em cima, não é assim tão difícil como escreves, ou se é ou não se é e ponto.
E tenho a certeza que a maior parte das leitoras dessa coisa (nem lhe chamo pessoa) são as gordinhas, porque embora sejam vistas como um deles, nunca têm o seu amor. Aquele que elas tanto desejam.
Acho este texto muito fútil e não acho que é por seres bonita. De certeza, que é que só porque és fútil e pronto.
E a MRP foi uma grande cabra e penso que com o que escreveu vai perder muitos dos seus leitores. Só terá o que merece.
"Ser gira dá trabalho que se farta! Traz coisas pouco positivas como o rótulo de barbie pouco inteligente, fútil, que só gosta de compras porque até se veste bem. A maioria das mulheres não gosta de ter amigas bonitas e os homens só pensam levá-las para a cama." Pelo amor de Deus!!!
Meninas,

(aquelas que resolveram dizer que se eu interpretei assim o texto é porque sou fútil, inculta e etc e tal - o que me vale é ter as costas largas.)

Eu NUNCA disse que algumas gordas não sofram! Que não gozadas e tal! Eu apenas tentei perceber o que a escritora queria transmitir (apesar de ela ter sido bruta, mas isso é sempre). Acho que consegui ver as coisas pelo prisma dela porque já passei situações semelhantes.

Este tipo de textos, cada pessoa tende a interpretar à luz da sua experiência. Garanto que há por ai mais pessoas que acham o mesmo que eu porque viveram situações parecidas.

**
"o que me vale é ter as costas largas."
Coitadinha, realmente! (Ironia!)
Cris,

Quer atenção a menina é? Já percebemos todas o seu ponto de vista.
Eu não sei se és gorda, magra, bonita ou feia. Sinceramente, pouco me importa. O que sei é que te contradizes em muitas coisas. O comentário que fizeste em relação ao texto da MRP é a prova. Se no fundo é fácil e bom ser gorda, eu não sei porque é que escreves sobre dietas e te queixas que andas insegura porque estás mais redondinha e blá blá blá. Mas sim, manda lá que o blog é teu e que escreves o que queres ;)
Não, a sua dispenso, obrigada. :)
Apenas gosto de deixar bem claro o que penso, para o caso de não perceber à primeira.
Este foi um dos posts mais ridículos que já na blogosfera! Primeiro, as pessoas giras só são acusadas de serem fúteis se o são de facto. Depois, acho piada estares a dizer que és gira e tens um corpo jeitoso e por aí fora (primeiro, porque não tens e não és e segundo porque mais convencida não podias ser).
Isto não é inveja e eu não sou nem nunca fui "a gordinha", por isso não penses que estou a revoltar-me contra ti por um desses motivos, só acho ridículo.
A maior parte das pessoas mais gordas sentem-se mal e não é fácil mudarem isso e as que se sentem bem consigo não é porque preferem mandar bocas "às outras", como dizes, é porque simplesmente aprenderam que têm de viver bem como são e tornam-se pessoas mais seguras.
Tu és ridícula se achas mesmo isto. E a Margarida Rebelo Pinto também.
Estou tão de acordo com esta opinião que tive mesmo que dizer alguma coisa. Obrigada por me "tirar as palavras da boca".
MRP não escreve livros, escreve artigos de revista cor-de-rosa com muitas páginas. E depois também escreve estas "crónicas" que não são nada mais que lixo.
De facto, quem lê esta autora, não faz a menor ideia do que é literatura a sério. Infelizmente, isso representa grande parte da população portuguesa, mas há muito que sei que vivemos num país de acéfalos, portanto isto não me surpreende. Pois bem, ao que ela escreve, não presto atenção, porque já sei que é mau.
Quanto ao teu post, li-o porque gerou polémica noutro blog, e venho confirmar "às claras" que é miserável.
Claramente, nunca foste gordinha. Fútil és, com certeza, na medida em que mostras ter tanta vaidade e consideração por ti mesma, por oposição às ditas gordinhas. Há magras e jeitosas bem feias e há gordinhas bem giras. Não conheço nenhuma gordinha que goste de o ser, e que não tenha sido gozada pelo sexo masculino. Deves ter andado numa escola muito estranha.
Ah e ser gira não dá trabalho absolutamente nenhum, as poucas que usufruem de beleza natural não precisam de se maçar a maquilhar-se nem a vestir nada de especial. Por isso, se dá muito trabalho, não são assim tão giras.
Beleza não demonstra falta de inteligência em sítio nenhum. Burrice mesmo é ler MRP e escrever posts como estes.

Enviar um comentário

Opinem!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...