19 de abril de 2011

As relações amorosas são sempre complicadas

Muitas pessoas se questionam sobre os passos a seguir numa relação para que esta resulte. O primeiro encontro deve ser assim, sexo só deve existir ao fim de não sei quantas semanas ou meses, as férias devem ser passadas a dois para conhecermos os hábitos um do outro, a família só podemos conhecer quando a relação se tornar realmente séria e etc etc etc. Inúmeras regras, na esperança que isso lhes traga uma relação estável e duradoura. Pois, pois... Como diriam os adolescentes "fia-te na virgem e não corras"!

Existem vários princípios errados daquilo que se considera uma relação forte, duradoura e estável. A meu ver e muito francamente, tal utopia só se alcança de uma forma: sofrendo, chorando, abdicando e fazendo sacrifícios. (Nesta altura do texto já existem mentes revoltosas e provavelmente muito apaixonadas a discordar do que estou a escrever) Vamos por partes. 

A fase do enamoramento, da paixão e das borboletas no estômago é fantástica! Já todos sabemos isso portanto vamos avançar essa parte. Imaginemos uma relação de sete ou mais anos, com convivência diária na mesma casa, contas a pagar, empregos e projectos futuros. Nesta fase de um namoro, os membros do casal têm a errada percepção de conhecer muito bem o parceiro e por isso garantem que é com aquela pessoa que querem passar o resto dos seus dias. Ah, nós já sabemos os defeitos um do outro e estamos habituados a conviver com isso. Não há nada que com muita paciência não se consiga. São frases vulgarmente proferidas pelos casais. Meus caros, estão a esquecer-se de um pormenor muito importante. É que qualquer ser humano vai mudando ao longo do tempo. A sua personalidade altera-se conforme as experiências de vida. A pessoa por quem nos apaixonamos hoje não vai ser exactamente a mesma daqui a uns dez anos. Ela não vai ser a mesma e nós também não. Vai daí, a forma como a percepcionamos também se altera. Há características que se acentuam, hábitos que se alteram, planos que deixam de ser os desejados. Um dia acordamos, olhamos para o lado e quase não reconhecemos a pessoa por quem nos apaixonámos há anos atrás. A meu ver, é inevitável. Ou isso, ou fartamo-nos da pessoa mesmo. Simples. 

Outro dos pontos chave de uma relação prende-se com a questão sexual. Diz-me quantas vezes fazes sexo com o teu parceiro e dir-te-ei como vai a vossa relação. É mais ou menos assim. Um compromisso sério exige que ambas as partes façam um juramento de fidelidade eterna. Yeah right! Digam-me assim de repente, quantas espécies monogâmicas existem na natureza para além de nós?! Um pouco pretensiosos nós os humanos, não? Concebermos que, de agora para toda a eternidade só vamos praticar sexo com aquela pessoa e mais ninguém veremos à nossa frente. Idealizarmos que nunca nos sentiremos atraídos por mais ninguém que não seja o nosso companheiro(a). Não sei porquê mas isto soa-me a algo parecido com a própria morte. E agora vocês dizem: ah te tal, mas somos animais racionais e temos aquilo que se chama de sentimentos. Bullshit! Isso levar-nos-ia a outra conversa. A confusão mental que existe entre fazer sexo e fazer amor. Reservo esse post para mais tarde que este já vai longo...
SHARE:

12 comentários

  1. Read my mind.. concordo com cada palavrinha aqui escrita* Na mouche*

    http://fashionviktima.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Kitty...
    Não percebi se havia alguma dúvida da tua parte... ou o porquê deste post.. hehe.. é uma mera constatação??? Deve ser...
    A meu ver, e a ler o que escreveste concordo com algumas coisas.. e cada relação é uma relação e isso de haver regras... na na ni na na...
    Só se existirem para não se cumprirem e estabelecer-se a excepção à regra.... Não há regra sem senão..

    Dpeois, ao longo dos tempos as pessoas habituam-se umas às outras... vão-se adaptando a uma nova vida em comum.. e bla bla bla...
    Eu costumo dizer que as pessoas não devem mudar... devem sim, melhorar..
    Mas... como diz um grande amigo meu.. as mulheres têm a tendência de querer mudar os homens.. Apaixonam-se perdidamente por uma pessoa e passados uns dias já querem que mude a forma de vestir... que corte o cabelo... que perca a barriga... and so on... Haha...
    Palavras dele.. que até concordo na generalidade..

    Quanto ao sexo e amor... há bastante diferença sim.... às vezes confundem-se... e, a meu ver.... no amor existe sexo... já no puro sexo não existe amor... My opinion... E acho que o sexo e o amor deve ser uma parte significativa numa relação..
    Criticando as mulheres mais uma vez (e sendo eu mulher pareço uma maluquinha.. hehe)... mas, como tenho noção de várias amigas minhas que, não ligam muito a isso e passam a vida com desculpas (sim.. as desculpas não são um mito)....
    - Ai e tal doi-me a cabeça..
    - Ai e tal quero ver a novela..
    - Ai e tal aí não que dói....

    Isto é real.... infelizmente (na minha opinião).. e depois queixam-se que o namorado/marido vai à vizinha/secretária/whatever...

    Minhas queridas.. o que ele não tem em casa... procura lá fora... got it???? Mas, isto será abordado num post... a seu tempo... Hehehe...

    Por agora chega.. de testamento..
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. camaleoa,

    Não tenho dúvida nenhuma! ahahaha!

    É só uma constatação mesmo. ;)

    **

    ResponderEliminar
  4. Adorei o texto e sinceramente concordo com tudo o que escreveste :)
    beijocaa***

    ResponderEliminar
  5. Hmmm... como se costuma dizer este tema "dá pano para mangas"!

    Tanto a dizer... tanto a dizer...

    ResponderEliminar
  6. Sempre que chego ao teu blog tenho uma surpresa diferente! Essa tua cabecinha e a tua lábia, frontal e sem papas na língua (tal qual como gosto) agarram-me a cada palavra e deixam-me boquiaberta de todas as vezes!
    Qualquer coisa que seja estereotipar/generalizar é um big mistake, we're all different, portanto, esta conversa não acaba nunca.ahahah
    Beijinho

    http://theclosetvoice.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. http://vidademicrobio.blogspot.com/2011/04/relacoes-amorosas-sao-tao-complicadas.html

    ResponderEliminar
  8. The closet voice,

    Obrigada. Até fiquei encarnada com o teu comentário. ;)

    **

    ResponderEliminar
  9. micróbio,

    Já fui ler. É como dizem, neste tema cada um tem a sua perspectiva pessoal.

    **

    ResponderEliminar
  10. Haveria tanto a dizer sobre este assunto mas do meu ponto de vista, inspirado pelo que vejo à minha volta, as relações são mesmo complicadas mas os arrufos e separações têm geralmente um ponto em comum. As pessoas simplesmente não se esforçam, é um casa, descasa, 'bora lá partir para outra.

    Não há empenho e isso é logo factor decisivo para as coisas não correrem bem...

    Obrigada por mais um belo post :)

    xoxo
    cindy

    ResponderEliminar
  11. Marta,

    Às vezes as pessoas esforçam-se tanto que chegam a um ponto e já nem sabem quem são.

    **

    ResponderEliminar
  12. post fantastico! adorei... Parabens

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig