17 de agosto de 2011

Polar triper adviser: Bélgica do Tin Tin (lá diz-se tantan mas isso agora não interessa nada)


  • Não há lowcosts a operar de Lisboa para o Luxemburgo. É certo que o Luxemburgo não é um destino turístico por excelência e também é certo que o salário mínimo no Luxemburgo são 1700€, mais coisa menos coisa, mas há todo um turismo emigrantês que seria beneficiado com uma lowcost entre as capitais dos dois países. Posto isto, reservar a viagem na TAP é uma solução mas, aproveitando a localização do petit país, ir directo a Bruxelas é recomendado . 
  • Não se enganem os fregueses que apregoam que "na TAP é que é". Na TAP é que foi uma "sande de mixórdia" a escaldar como almocinho a bordo, acompanhada por uma sobremesa elaboradíssima composta por maçã descascada e embalada. E na TAP é que foi só poder despachar um volume por pessoa como bagagem de porão. Tirem as V. conclusões...
  • Convém levar ténis para fazer exercício no Aeroporto de Bruxelas. Diz que se andam quilómetros lá dentro até se chegar aos tapetes de bagagem (e isto não é uma hipérbole, que nós estávamos, literalmente, com os bofes de fora). A vantagem é que, chegadas perto dos tapetes, as nossas malas já esperavam por nós naquele rolamento sem fim. Uma miragem no fim do deserto!
  • Bélgica não é um destino exótico. Mas isso não implica que não devamos ir prevenidos comImodium Rapid. Experimentem, logo assim no primeiro dia e de rajada, provar bolachas belgas recheadas com mel, gauffres, chocolates belgas, trufas, mules e, claro, as belas e tradicionais frites. Tudo a macerar no belo do estômago. Melhor, mas mesmo melhor efeito fará se V. Exas. forem desprovidos de vesícula biliar (fatalidade que me assiste). Logo me contam se não vale a pena serem gozadas pelas amigas quando sacarem da caixinha dos remédios "à lá velha" de dentro da mala.
  • Evitem ir ao Steak Frit' situado no Marché Au Poisson Vismarkt depois de uma gastroentritezinha. É que é doloroso ficar a ver os amigos a deliciarem-se com os melhores bifes da cidade enquanto se petisca saladinha. 
  • Bruges fica a uma hora de Bruxelas de comboio e vale a pena visitar. Lembrei-me da Maria vezes sem fim. A estação não fica propriamente no centro da cidade (ou então fomos nós que nos perdemos, já não sei bem...), pelo que, não andar a passear trolleys que nem animais de estimação é também recomendado. Diz que na estação há uns cacifos jeitosos, é aproveitar. 
  • Almoçámos num restaurante italiano simpático mesmo nas margens do canal. Com um jardim interior lindíssimo. Se o descobrirem enviem-me a morada, pois chegámos lá por acaso e não trouxemos factura. Ah, e não façam esse ar "Han, restaurante italiano em Bruges?"! Pois, pois, depois de uns dias na Bélgica contem-me se aguentariam mais frites, meus senhores!
  • De volta a Bruxelas, em Agosto é não perder o Brussels Summer Festival que está a ocorrer neste momento. Um Festival de Verão onde não falta nada:  banquinhas de comidas, de artesanato local, roulottes de churros, palcos e un, deux, trois, experience. Ah, espera, falta Verão, é verdade...
  • Evitar pedir qualquer prato que termine em wurst, embora se esteja na Bélgica. Por outro lado, não ter pudor em pedir uma cervejinha ao calhas porque os alemães é que têm a fama mas os belgas é que têm o proveito- são todas soberbas. 
  •  O Museu Magritte vale a pena. É pequeno e bem organizado. O bilhete custa apenas 8 €. Eu adoro Magritte, portanto, sou suspeita. A loja do museu não é muito criativa (volta loja do Reina Sofia que estás perdoada!) mas a cafetaria tem uma vista gira. Spolier: o quadro do "ceci n'est pas une pipe" não está lá, portanto, não vale a pena acreditar que é na última sala que os senhores expõem o dito, porque não é. Cabrões!
  • O menino a fazer xixi é uma estátua minúscula numa esquina, não se iludam E está demodé. Não se pendurem para tirar "I love PN" pictures sob pena da polícia vos ir fazer uma cara pouco amigável. Procurem pela menina a fazer xixi. Bem mais gira!
  • Chegados à Grand Place olhem para o cimo de cada edifício. Encontrarão representados vários ofícios que ajudaram à reconstrução do sítio depois dos espanhóis destruírem aquela coisa toda. De frente, o edifício grande é o governo civil daquele bairro e é comum verem-se lá casais vestidos de noivos a acenar à varanda, que assim concretizam os seus minutos de fama à lá Evita. 
  • Ainda na Grand Place não empatem dinheiro no Museu da Cerveja que por lá se encontra. Pequeno, sem graça e caro. Uma banhada. Podem sempre roubar uma caneca no fim, para não se sentirem tão enganados. Não é que resolva a sensação de perda de tempo e de dinheiro, mas alivia o ressabiamento. 
  • Ao saírem de Bruxelas em direcção ao Luxemburgo de comboio o bom é comprar bilhete de ida e volta, ainda que não voltem. Custa 30€. Já se for só ida ou só volta custa 35€. Confusos? Pois..
  • Se puderem parar em Orval não se irão arrepender. Não é todos os dias que se bebe cerveja trapista servida pelos próprios monges que a produzem. 
  • Ao passarem por Arlon não sejam tontos e não comecem a cantarolar em uníssono com as vossas amigas um "Arlooooon, is it me you're looking fon". A sério, só tem graça para vocês mesmo. O resto dos passageiros do comboio não têm capacidade de alcançar a piada subjacente à coisa. Alguns podem, até, pedir ao picas que vos alerte de mansinho num jeito muito belga. Humpft! 
  • Se forem nesta altura estejam preparados para um clima temperamental e surpreendente. Ora faz chuva, ora está enublado, ora uma nesguinha de sol, ora lá se foi a nesguinha e chove outra vez. Uma alegria para quem teme o cancro da pele. Ou está com afrontamentos.
  • As belgas não são boas, nem giras nem especialmente vistosas. Os belgas também não mas são criativos a vestir-se e têm pinta. Por isso, minhas amigas, tenho-vos a dizer que o sangue latino é altamente apreciado por aqueles lados. E mais não digo. 
  • Bruxelas, como aliás qualquer outra cidade, visita-se melhor na companhia de alguém que lá viva. Atrevam-se a conhecer gente nova. Ainda que se chamem Marianne Inês e tenham um português com uma pronúncia de "Alô alô" charmosa, charmosa, ao ponto de me fazer inveja.

SHARE:

6 comentários

  1. ahahah amei este roteiro turistico!!!

    Maria

    ResponderEliminar
  2. Tens mesmo que mandar isto para o verdadeiro TRIP ADVISER.
    O pessoal vai amar.

    Love it :))

    Cadês
    Almofariza

    ResponderEliminar
  3. Pólo Norte tu devias fazer um programa de viagens na televisão, a sério. As tuas dicas são sempre um mimo! Deliciosas que só elas.

    Alexandra Pires

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig