16 de julho de 2012

Não gosto #5

Que as pessoas paguem para ter um animal de estimação. Eu sei que é um assunto sensível e que suscita muitas opiniões mas quando, como hoje, vejo tantos bichanos bebés nas ruas a precisar de casa fico um pouco revoltada. É quase como se pagássemos para ter amigos. 
SHARE:

16 comentários

  1. Devo confessar que também não gosto nada :X Tanto bichinho abandonado que merecia ter uma casa para receber miminhos e comidinha. É por isso que sou apologista da adopção de animais. Quando andei há procura de um gatito, usava o adopta-me.org, que ainda está em funcionamento e que é fantástico (:

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. por um lado concordo contigo. Mas por outro discordo. Para uma pessoa pagar para ter um animal é porque o quer ter mesmo. E pensa no assunto. E faz contas á vida. Se não pagassem, ter um animal tornava-se mais banal ainda. E o bicho ficava descartável. E abandonam-no porque um dia vai haver um mais giro. E de borla. Claro que há pessoas como nós, que temos sentimentos pelo nosso bichinho.

    ResponderEliminar
  3. Acho que no caso de compra ou adopção, quando os donos se fartam, infelizmente abandonam o animal a mesma. Ou porque vão para fora de férias, ou porque o gato/cão fica caro (vet, alimentação etc...).
    Eu sou a favor da adopção e para quem quiser espreitar um exemplo de voluntariado e ajuda dos gatos, vejam o trabalho que a Associação Entregatos tem feito
    - http://assoc-entregatos.blogspot.pt/ ou
    - https://www.facebook.com/associacao.entregatos.9.

    ResponderEliminar
  4. Não podia concordar mais contigo. Tenho uma cadelinha de 2 anos cá em casa, trazida diretamente da União Zoófila. Dá bastante pena entrar num espaço como aqueles, em que mal pomos lá um pé avançam carradas de cachorrinhos à procura de um miminho. Se pudesse, trazia-os todos cá para casa!
    xoxo, Inês

    http://the-perfectwardrobe.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Não posso concordar mais.
    O amor não se compra e, apesar de em certa parte, concordar com a Pipa, adopatr é claramente um acto de imenso amor, de não querer saber do aspecto, da raça, é amar só porque sim.
    Quem tem bichos sabe bem do que falo...
    Olha se eles pudessem escolher apenas gente com pedigree... : ))

    ResponderEliminar
  6. Embora não ache piada a quem faz questão de ter determinado animal só porque é moda, é preferível que pessoas assim paguem pelos bichos que levam para casa. Sempre é uma forma de se responsabilizarem. Se mesmo assim abandonam os animais que lhes custaram dinheiro, que farão a um bichinho recolhido da rua? Sei de casos...

    Pessoalmente, não ponho de parte a hipótese de comprar um cão da Serra, um pequinois ou um gato persa. Não pelo pedigree, mas porque os acho mesmo fofos. No entanto, os "orfãozinhos" são tantos que até os persas e bosques da noruega que tive foram adoptados...e não ando de modo algum a seleccionar. Sempre que pensei nisso apareceu um bicho necessitado, com mais pelo ou menos pelo, e lá se foi a compra.

    ResponderEliminar
  7. Tinha um cão já muito velhinho que infelizmente morreu há uns tempos,
    já o tinha há 18 anos, custou-me muito e cá em casa decidimos ter adoptar outro.
    Dirigi-me ao canil aqui da minha zona, disse que queria adoptar um cão ou uma cadela, avaliaram as minhas condições (se tinha uma casa ou um apartamento, se tinha possibilidades ou não de adoptar um animal e acima de tudo se tinhamos carinho para dar a um animal de estimação) no dia seguinte, ligaram-me dizendo para passar pelo canil pois tinham lá um cãozinho de nome Rex que tinha sido muito mal tratado e que necessitava urgentemente de ser adoptado. Dirigi-me ao canil e não é que o caozinho que lá me esperava era um lavrador? Por vezes preocupam-se tanto em escolher uma raça definida gastam tanto dinheiro para comprar "um cãozinho bonito" que no fim não lhe dão o que realmente ele precisa (como foi o caso do Rex).
    Eu não me importei com a raça apenas queria um fiel companheiro que me aconchegasse o buraquinho que o meu primeiro cãozinho deixou no meu coração.
    E no dia seguinte, apareceu outro cão cá na rua, era bebé, dei-lhe comida pois estava esfomeado, não resisti e também fiquei com ele. Hoje em dia tenho dois cães lindos e não é por um ser de raça definida e o outro não que os distingo. Adoro os dois <3

    ResponderEliminar
  8. Hoje em dia o animal´para muita gente é tratado como mais um acessório de moda e isso sim chateia me..

    ResponderEliminar
  9. Eu também não gosto nada e nunca paguei para ter nenhum (vá mentira, só mesmo os peixes)..Tanto animal a precisar de uma casa e gente a pagar e bem quando os pode ter de graça..enfim =X

    ResponderEliminar
  10. Não concordo na compra do animal de estimação como um acessório mas também não concordo com a afirmação "comprar amizade".
    Principalmente se falarmos de gatos...é o animal que nos escolhe e não o inverso. A mim ofereceram-me a Sofia que foi comprada numa loja. Foi preciso 1 ano para nos adaptarmos uma à outra mas hoje em dia ela é mais que um cão de guarda, é a minha melhor amiga e não creio que isso se deva por ter sido comprada.

    www.oribeaute.com

    ResponderEliminar
  11. Para isso, também ninguém tinha filhos próprios enquanto houvesse crianças no orfanatos.

    ResponderEliminar
  12. txii que associacao e tens razao, o meu gato veio do gatil, e ridiculo pagar por um animal quando ha tantos que procuram um lar e nao tem essa sorte. comprar um animal??? nao mesmo

    ResponderEliminar
  13. Já fiz as 2 coisas. Tenho uma pitbull que me foi entregue com 2 anos de idade e que adoro. É a cadela mais meiguinha que conheço. Mas também não gosto de ficar só com o que os "outros não querem". Acho que também tenho direito de comprar uma e escolher. Sexta feira chega a minha pinscher. Acho que é como tudo, tem de haver um equilíbrio. Senão era como aqui indicam nos comentários, só se tinha filhos depois de os orfanatos estarem vazios. Nesse assunto, em algum dia também espero conseguir um equilíbrio.

    ResponderEliminar
  14. Olá querida Raquel, cá em casa houve discussão devido a esta temática...
    Quando o nosso Terra Nova começou a ficar muito velhinho e já prevendo o que efectivamente sucedeu, o maridão queria comprar um cachorro, enquanto eu queria antes adoptar.
    Não tínhamos raça definida, a não ser que queríamos cães de grande porte, visto estarmos habituados ao Terra Nova.
    Como em todas as questões entre casais, tivemos que chegar a um consenso: não adoptámos, mas também não comprámos.
    Amigos e conhecidos, sabendo que nós queríamos novos elementos na família, perguntaram-nos se queríamos bebés, das suas ninhadas e ofereceram-nos. E assim surgiu o nosso lindo Pastor Alemão e a nossa doce Serra da Estrêla.
    São uns lindões, uns mimalhos, ele tem agora 8,5 meses e ela 3,5 meses e não descarto a hipótese de ter mais um, mas no mesmo sistema: quando e se, aparecer a oportunidade será bem vindo. :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. Este é mesmo um assunto muito controverso! Tenho uma gata persa que comprei, não por moda ou para mostrar, mas sim por ter fascínio pela raça, por aquela calma só deles...Fui ver a ninhada, e a gatinha de poupa no ar chamou-me a atenção: era a mais irrequieta! Trouxe-a e até hoje não vivo sem ela, nem ela sem mim, e já lá vão quase três anos. Eu sou uma apaixonada por gatos, qualquer que seja, e quando vejo um, não lhe resisto! E é por isso que quando saio a rua tenho um monte deles a rondar a casa a ver quando vou dar-lhes de comer. Não me deixam mexer-lhes, mas continuo a gostar deles. Sou sincera, chamem-me cobarde se quiserem, mas não consigo entrar em canis, gatis e afins...Custa-me olhar nos olhos dos bichinhos que lá estão e ver o desespero naquele olhar...desataria a chorar por saber que não poderia traze-los todos para casa...Costumo contribuir com ração para o canil aqui da minha região, mas mais não consigo mesmo. E também Não consigo compreender como alguém abandona o seu animal.

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig