5 de abril de 2013

O "It boy" Miguel Gonçalves (II)


Era mais ou menos isto que eu tentava explicar no meu post abaixo. Claro que não fui bafejada pelo poder oratório do Miguel Gonçalves, por isso, deixo-vos as sábias palavras do Bruno Nogueira. :-)
SHARE:

5 comentários

  1. O Bruno Nogueira disse tudo. Nunca gostei desse Miguel Gonçalves e depois de ele ter dito aquilo dos estudantes universitários e dos 100€ é que deixei mesmo de o gramar.

    ResponderEliminar
  2. Tens que ver este:

    http://www.rtp.pt/play/p902/e112993/outra-coisa

    tá muito bom LOL

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o que disseste no outro post e o que o Bruno Nogueira disse aqui e, finalmente, parece que os portugueses abriram os olhos.
    Já não gostava deste rapaz desde a sua famosa primeira aparição no Prós e Contras. Achei logo que se assemelhava a mais um desses futuros políticos que falam com muito entusiasmo mas esquecem o essencial. E detestei logo a carneirada que espalhou a palavra dele pela internet, quase o ergueram num pedestal. Infelizmente (ou felizmente) nem toda a gente tem jeito para os negócios. Nem em todas as áreas se resolve assim as coisas. O discurso dele nunca foi para o bem dos portugueses mas para o bem pessoal de cada um, basicamente um "como enriquecer" e não "como nos sentirmos realizados". Por exemplo, um professor sente-se bem a dar aulas no sistema público, terá ele que criar um? Um cientista sente-se realizado a investigar num dos grandes centros de investigação, terá ele que criar um? Dinheiro e realização pessoal não são a mesma coisa. Ele fala do que o incentiva, dinheiro, e de como o fazer. Mas esse sonho não é comum a todos. O meu certamente não é esse. Eu quero conseguir viver (e não apenas sobreviver) mas o que me faria realizada, pessoal e profissionalmente, não passa de todo por ser chefe/patrão. Aliás conhecendo a minha personalidade, seria algo que me faria bastante infeliz.
    E, também, acho horrível a pressão que me fazem, como desempregada, com tantas formações e workshops em empreendedorismo. Como se eu não fosse ninguém se não quiser enveredar por aí.

    ResponderEliminar
  4. Cada vez que ouço este rapaz a falar acho que acentua ainda mais aquele sotaque... Irrita-me profundamente, este rapaz é speaker motivacional, como há mts nos estados unidos! a sorte dele foi que viu aqui em portugal um nicho de mercado em que não há mts. quando o ouço fico sempre com a sensação que a culpa do desempregado estar desempregado é dele, porque é ele que não se esforça o suficiente para atingir o seu objetivo, quando na realidade não é assim. Enfim... banha da cobra.

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig