31 de maio de 2013

Agora é a valer

Acho que deve acontecer com toda a gente. Viver para fazer aquilo que achamos correcto fazer. O grande problema é que, geralmente, as vontades, os sonhos, as decisões sem rede, malucas, desviadas e fora do comum ficam de fora da nossa vida. Porque não parece correcto, porque nos preocupamos com o que outros vão achar ou porque parece pecado fazer algo por puro prazer. Durante muito tempo tive este género de dramas interiores. Depois, talvez por causa da idade, de ter amadurecido, fui percebendo que não pode ser assim. Aquele cliché de que a vida é demasiado curta para a desperdiçarmos a fazer coisas das quais não gostamos é demasiado verdadeiro para ser apenas uma frase dita variadas vezes mas nunca posta em prática. Quero ser feliz. Quero fazer coisas que me façam feliz. Ainda que, para a maioria das pessoas, esse tipo de vida, de trabalho, pareça demasiado bizarro para ser levado a sério. Se para mim é importante, e para quem está comigo aquilo que vale é o meu sorriso e o meu entusiasmo, então é o que basta. Em Junho começo uma actividade (chamemos-lhe assim) há muito desejada e demasiadas vezes adiada. E a verdade, é que me estou a marimbar para o que os outros possam pensar. 
SHARE:

3 comentários

  1. Boa sorte Raquel! Espero que corra tudo bem nessa nova fase :). Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. E assim é que tem de ser! Boa sorte! *

    ResponderEliminar
  3. Boa sorte! Depois queremos pormenores :)

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig