28 de abril de 2016

As "pérolas" que eu oiço #3


Confessem, já tinham saudades destes posts, verdade? :-) Não tenho ouvido muitas "pérolas" relacionadas com a gravidez. Não, as pessoas em geral não ganharam juízo, infelizmente. A minha condição física actual é que me obriga a estar a maior parte do tempo em casa, e com isso, perdem-se estas maravilhosas interacções. Mas ainda assim dá sempre para ser brindada com uma ou outra afirmação um tanto ou quanto inquietante. 

Quando contei ao mundo que estava grávida, havia uma enorme preocupação geral com a quantidade de peso que ia ganhar. "Uiiii agora é que vai ser comer!" diziam. Histórias como "Eu comia tudo o que via à frente", "Engordei 30kg e nunca mais fui a mesma" eram o pão nosso de cada dia. Não era coisa que me preocupasse, para ser franca. Estava tão absorvida a pensar se a bebé estaria bem, se ela estaria a aumentar de peso e a crescer, que aquilo que eu engordasse era perfeitamente secundário. Estava mais do que mentalizada para ficar uma lontra na gravidez e depois ter que andar a correr maratonas para recuperar.


Sucede que, o tempo foi passando, e nada de eu me transformar num cachalote andante. Claaaaaaro que o discurso da "sociedade" tinha que mudar, e não seria para melhor, não se iludam. Se pensavam que eu ia ouvir coisas fofinhas e palmadinhas nas costas, é porque não sabem como são maldosas as mulheres umas para as outras. A minha vida passou a ser pautada por "Ahhhh tás tão elegante, a menina deve ser pequenina". É que as pessoas são ardilosas ao ponto de começarem os juízos com um elogio simpático para só depois vos espetarem aquela naifada suave mas dolorosa. "Isso é só barriga, olha que tens que alimentar a miúda", "A gravidez não é altura para dietas, Raquel". De repente, toda a gente tem uma pós graduação em nutrição e é detentor de conhecimentos vários sobre os diferentes biótipos existentes. Uma alegria. 

Claro que não me deixo afectar minimamente por opiniões alheias. A menos que essas opiniões venham do meu médico, ele sim com dados e conhecimentos para avaliar a minha gravidez. E vão com sorte de não levarem uma resposta torta, seguida da sempre útil desculpa das hormonas malucas. ;-) 
SHARE:

1 comentário

  1. Há coisas que não mudem nunca, nomeadamente o facto de todos os outros acharem sempre que sabem mais do que nós da nossa vida e do que nos faz bem ou mal. Aproveita mas é o momento e deixa-as com as suas teorias ;-)

    ResponderEliminar

Opinem!

© Perturbações. All rights reserved.
BLOGGER TEMPLATE BY pipdig